FALA-ME COMO A CHUVA E DEIXA-ME OUVIR

Projeto IMPULSO, uma iniciativa Companhia de Actores

20133614_10155162484164760_1082751379_o_


Sextas e sábados

Data: 13 a 21 outubro

Hora: 21h30

Duração: 60 minutos

Classificação etária: M/16

 


Fala-me Como a Chuva e Deixa-me Ouvir” é uma peça de um ato único que conta a crua história de uma relação – a do drama de um casal à procura de uma nova linguagem e rotina.

Enquanto ambos lidam com o binómio afastamento-união, é despoletada uma jornada de descoberta que se faz individualmente, mas também a dois. O tempo, impercetível, age como um limbo que faz questionar: será esta história uma memória, um sonho ou um episódio futuro? A única certeza é a de que o encontro entre ambos se dá sempre ao domingo, sempre à mesma hora, sempre no mesmo quarto de hotel.

É essencialmente um jogo entre personagens e inevitavelmente entre atores: as personagens perdem as palavras e os atores perdem a regras.

É este movimento perpétuo de repetição que leva a uma reflexão sobre o âmago das relações – dos estragos físicos aos emocionais, do arrependimento à identidade, do altruísmo à obsessão.

A peça curta, de Tennessee Williams, foi escrita em 1953 e apresenta-se agora no Teatro Municipal Amélia Rey Colaço, como parte do projeto IMPULSO. O espetáculo é um exercício final do segundo semestre de Mestrado em Teatro com especialização em Encenação pela Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa.


 

FICHA TÉCNICA:

Texto: Tennessee Williams
Tradução: David Antunes
Encenação e Conceção Artística: Lília Lopes
Assistência de Encenação: Ana Margarida Baptista
Interpretação: Bruno Xavier e Lília Lopes
Luz e Som: Gonçalo Morais
Interpretação Musical: Guilherme Pais Antunes
Fotografias de Cena: David Nobre

 


 

Preço Bilhetes:

Público em geral: 10€

Menores de 25, maiores de 65 ou profissionais do espetáculo: 8€

 


 

Informações adicionais: 

– Não dispomos de sistema multibanco;

– O espetáculo não tem lugares marcados;

– Não é permitida a entrada após o início do espetáculo.

<<Voltar